08/10/2017

A ABOLIÇÂO DA GUERRA!...


foto pública tirada da página do ICAN do Facebook
...

A ABOLIÇÃO DA GUERRA
*
a guerra
quer seja atómica
ou tiro de pólvora queimada
a Terra
hipocrisia cómica
ou a tragédia da alma penada
*
só pode desejar a guerra
quem a não viveu
na sua mais triste crueldade
gente indefesa sem terra
relâmpagos de fogo na noite de breu
onde não há paz não há liberdade
*
amigo humano
meu irmão da humanidade
diz não à guerra
não há poder por mais insano
nem maior barbaridade
que aceitar queimar a terra
*
afinal quem somos nós inteligentes
para semear a violência
destruindo vidas casas e haveres
a mando de tenebrosas mentes
sem pudor de matar nem consciência
meros robots de ignaros seres
*
a guerra
é sangue medo terror destruição
que dá lucro a criminosos
ganância inveja com a razão perra
é tempo de amar com o coração
dando as mãos e abraços portentosos
*
sendo que o pensamento é ouro
o amor fecundo gema pura diamante
a razão apura a inteligência
cidadãos do mundo não ergueis um muro
nem permitas no poder um meliante
levantemos da Humanidade a consciência
*
hoje que a paz foi premiada
é tempo de enterrar machados de guerra
seja sempre bem vindo quem vier por bem
declaremos o fim da fronteira fechada
sem medo que o eixo se desprenda da Terra
que todo mundo grite Viva a PAZ a MÁTRIA a MÃE!
jrg

19/02/2017

INDIGNANTE PRESSÁGIO!...

INDIGNANTE PRESSÁGIO
*
a classe dirigente
em portugal
seja político ou empresário
é lamentavelmente
gente habituada ao lodaçal
onde medra o usurário
*
partilham a mesma opinião
a mesma clientela
o povo a pensar que é poder
devotado à escravidão
a crédito com cravo na lapela
devedor até morrer.
*
se os povos acreditassem
que o ouro é a razão
motivo de toda a discórdia
não prestavam vassalagem
ao mentiroso ao ladrão
que vivem na sua mixórdia
*
urge pôr fim à vil servidão
somos todos humanidade
todos por igual sobreviventes
mais justa organização
é precisa repondo a igualdade
na terra às suas gentes
*
pôr fim ao arsenal de guerra
instituir a livre migração
sem religiões nem fronteiras
há abundância na terra
pessoas livres de bom coração
para melhores sementeiras
*
instituiremos a ordem do amor
quem não ama não pode pagar
comer nem afectos vestimenta
porque só amar produz calor
seremos de paixão terra e mar
não haverá inveja ciumenta
*
se desistirmos de a bem viver
pressinto que haverá tragédia
guerras ditaduras medíocres
a vida na terra acabará por morrer
não sem antes padecer de miséria
na noite sangrenta dos horrores
*
por isso quero cantar esperança
em profundo pensamento
preparem consciência para a mãe
é ela a criadora da criança
a que demontra mais entedimento
para organizar a vida bem
*
por isso quero expressar o amor
que une toda a humanidade
não vamos transigir neste conceito
agarrem minha mão com fervor
quando o terror cair na nossa cidade
façamos da alma um parapeito
jrg

07/02/2017

CURVO-ME SENHOR PRESIDENTE!





Fotos públicas tiradas da net

****

CURVO-ME SENHOR PRESIDENTE!
*
a figura do presidente
do rei do emir marajá imperador
esteve sempre ligada
à magnificência estilo prepotente
ao fausto sem pudor
à distância que o separa da massa governada
*
por isso estranhamente
reconheço que houve em Portugal
uma mudança magnãnima
um homem simples é o Presidente
que vai a todas por igual
até aos sem abrigo a quem anima
*
um homem a parecer mãe
a abarcar no todo o povo inteiro
um homem gente como nós
a distribuir abraços sorrisos e pão também
é de humanidade pioneiro
a acrescentar aos contras prós
*
há grãos de trigo no chão
e brilhos de esperança no olhar
ninguém fica desprovido
de ter um teto comida e paixão
de ter direito a trabalhar
ou ser condenado sem ser ouvido
*
o professor Marcelo afinal
é um homem simples e humanista
não é de pompa nem de circunstância
sendo ele Presidente de Portugal
passeia na rua como cidadão à vista
sem vaidade ou importância
*
não é múmia esclavagista
nem tem tiques altivos arrogantes
mistura-se com sem abrigo
ajuda à inclusão até dos sem vista
não fala nem dos navegantes
e olha cada Português como amigo
*
curvo-me senhor presidente
sempre pensei no fausto dos governantes
como uma vergonhosa ostentação
Marcelo voluntário leva a colher à boca do doente
e penso que nada volta a ser como dantes
está aberto o caminho para humanizar a governação
*
oxalá eu não me engane
e o mundo de aparência se vire do avesso
virando o humanista num contrário
o mundo precisa de gente que não empane
por mais que o acusem de travesso
Marcelo tem demonstrado ser na política um operário

jrg

26/01/2017

A HUMANIDADE DÁ-LHES UM TEMPO-DEPOIS DEITA-OS AO LIXO DA HISTÓRIA


imagem pública tirada da net
***
A HUMANIDADE DÁ-LHES UM TEMPO
DEPOIS DEITA-OS AO LIXO DA HISTÓRIA
*
ao princípio
não havia paises nem continentes
até que o homem rastejante
aprendeu a ser erectus sobre o precipício
descobriu e lançou sementes
e partiu para conquistas indignantes
*
não ter medos
nem de gigantes nem de mediocres
Chinas Índias Coreias
Alemanhas Américas Russias penedos
a preto e branco ou a cores
seremos humanidade  sem torres nem ameias
*
não há divisões
de terras que geram fronteiras
que impedem
a livre circulação de homens e de leões
não há muros nem barreiras
a terra armadilhada para que a querem?
*
Não há nações
nem pátrias que semeiam vendavais
que conquistam e escravizam
que impõem leis contrárias às razões
que povoaram o mundo de animais
chega de nacionalismos que vandalizam
*
não há tostões
nem rúpias nem dólares euros Yenes
acabou dinheiro e oirama
uma tragédia o pensamento de milhões
iluminou-se modificou genes
e fez-se humanidade de humana chama
jrg

08/01/2017

A MINHA HOMENAGEM A MÁRIO SOARES UM HUMANISTA !...jrg

A MINHA HOMENAGEM
A MÁRIO SOARES UM HUMANISTA !...
....
morreu a velha andorinha
já sem força para achar novo beiral...
a morte veio com a invernia
ainda a tempo de varrer erva daninha
libertando da peste Portugal
com seu piar estridente acudiu a quem sofria
*
não esperou a primavera
perdido que foi o comboio d'emigração
bateu as asas à liberdade
abriu alas para que passasse a nova era
morre um ícone da nação
uma andorinha alvi negra de saudade
*
com o seu desaparecer
fica a patriarcal ideia ainda mais falida
porque era macho sonhador
e via já a fêmea senhoril ao amanhecer
perdeu ganhando nova vida
porque ao morrer uma andorinha nasce amor
jrg

19/12/2016

MEMÓRIAS DO TEMPO DAS FESTAS DE NATAL NA VILA ONDE CRESCI...A COSTA DA CAPARICA

MEMÓRIAS DO TEMPO DAS FESTAS DE NATAL
NA VILA ONDE CRESCI...A COSTA DA CAPARICA
***
Na vila da Costa da Caparica onde eu cresci, todos os anos pelo natal toda a gente estreava uma roupa nova...todos menos os filhos da Aldigundes porque eram duma pobreza extrema...havia arroz doce na mesa, filhós e rabanadas caseiras...e um brinquedo, nem que fosse de de madeira grosseira ou de lata com pintura esborratada...
*
Matava-se o Perú que todo ano se alimentara de minhocas e grãos no juncal...às vezes de restos de hortaliças...porque era o dia de comer carne em terra de peixe farto...
*
Lembro aquele natal em que, como habitualmente, não esperava ter os presentes dos meus sonhos de menino...noite dentro ouvi as vozes da mãe e do pai num sussurro de mistério...a noite era fria mas a curiosidade aquecia-me o corpo e a alma impacientes...
*
Foi no ano em que descobri que não havia pai natal...que afinal era o meu pai quem preenchia o sapatinho à meia noite com a prenda que podia comprar...acordei o meu irmão após o silêncio que indiciava que os pais se foram deitar e fomos junto à
árvore de natal onde tínhamos colocado as botas de cardas... vimos que as botas tinham presentes...e quando nos preparávamos para os desembrulhar, ouvimos a voz do pai a mandar-nos deitar...
*
A noite passou tão lentamente que doía de tanto imaginar o que estaria dentro daqueles embrulhos compridos que não se pareciam com nada...sonhos e pesadelos alimentaram o pensamento adormecido...voltas e mais voltas na cama de folhelho .*
Enfim era manhã...já o sol entrava pela janela e ouviam-se vozes vindas da cozinha...corremos para a árvore...cada qual à sua bota...rasgámos o embrulho...e... a nossos olhos deslumbrados, um revólver que parecia de verdade, grande, de cano
comprido, com o tambor cheio de balas e que rodava...um gatilho que ao disparar fazia um estalido seco...tal qual como os dos filmes americanos que, à socapa, já começáramos a ver...com coldres e tudo...o cinturão...não...não era sonho...
*
Só muito mais tarde é que aprendi o verdadeiro significado do natal e de como havia muitos mais filhos de Aldigundes que não estreavam roupa nem recebiam presentes...
Mas pronto...é uma tradição festiva...trocam-se presentes e comem-se iguarias...juntam-se famílias...algumas desavindas aceitam as tréguas e no calor do álcool até trocam abraços e sorrisos...por um dia descobrem a paz e o amor que trazem
escondidos o ano todo...
*
Amanhã é já outro dia e uma semana depois um ano novo...renova-se a esperança...acicata-se o ódio...a indiferença...mas há sempre alguém que se passa
para o lado do amor...um dia seremos humanidade a sério...acérrimos defensores da nossa dignidade humana e da dos doutros...para que ninguém fique do lado de fora da
festa...de todas as festas...um dia em que não haja guerra nem terror sobre os inocentes...
*
Boas festas para todos e activem a consciência...por um novo Humanismo!...
jrg
minha mãe natal
meu pai natal


PS:
Obrigado meus pais Natal por me incentivarem a sonhar!...jrg

07/08/2016

FESTIVAL SOLDACAPARICA


imagem pública tirada da net
***

SOLDACAPARICA
*
lembro as árvores frondosas
e o mato diverso
com azedas e acácias emaranhadas
os pinhões graciosos
as toalhas estendidas no chão
para o pic-nique
dos fins de semana d'Agosto
as crianças subindo
árvores e valados escorridos
imagem bucólica
da minha e de tantas infâncias
quando a mata
esta mesma a de Santo António
era mata Nacional
com direito a guarda e lei
***
agora o parque
neste século XXI atravessado
pelo embuste e a mentira
de tantas valências que a Polis projectou
tem um festival que o anula
enquanto espaço lúdico de pessoas
de cães e gatos e de crianças
com ruas e espaços de estacionamento
interditos para obras
de montagem e aprisionamento do lazer
mais a norte a mata
foi vendida a privados com carta de alforria
a sul foi-se extinguido
ocupada por habitação e hortas de regadio
salva-se a mata dos medos
até que um fogo bandido a consuma
***
": QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO
QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?
- Pedro Oom"
***
a resposta tarda por encontrar
neste e noutros domínios
em que a nossa dignidade é ultrajada
que mãe fecharia um espaço de lazer
aos seus filhos e os obrigaria a pagar bilhete
pelo usufruto da natureza
nenhum evento ou festival pode cortar a liberdade
e o direito de viver ao natural
jrg

18/04/2016

ÍNDICE PSI 07 + 1 - BOLSA DE VALORES DA HUMANIDADE

foto pública tirada da net

ÍNDICE PSI 07 + 1
*
BOLSA DE VALORES DA HUMANIDADE
*
Cotações semanais
***
Índice de conceitos e respectiva cotação
os gostos fazem aumentar ou diminuir o valor cotado
***
CONCEITOS VALOR BASE POR ACÇÃO
Amor...............mil sorrisos
Sorriso............mil crianças
Mulher.............mil amores
Amizade..........mil mulheres
Crianças..........mil esperanças
Humanidade....mil amizades
Terra................mil humanidades
Homem............mil desculpas
***
Os comentários, em jeito de licitação, devem fazer subir
ou descer a cotação de cada item de acordo com a consciência
de cada um face aos valores expostos e em fracções de mil...
Saudações fraternas do
jrg

01/01/2016

BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!


BRINDO A UM ANO DE CONSCIÊNCIA HUMANA!
A todas as minhas amigas...a todos os meus amigos atiro palavras ao tempo, angustiado pela desumanidade das relações humanas, entre famílias, entre grupos, comunidades e estados...penso MÁTRIA...exorto a consciência feminina para que se faça luz...a luz diáfana do amor...do humanismo...para que 2016 nos faça pensar um novo sistema de organização da vida...que 2016 nos iniba de ter medo...o medo de perder privilégios...o medo de não ter...ter...ter...que 2016 nos permita a veleidade de sermos mais humanos...intransigentes para com a desumanidade...que 2016 nos permita sermos mais racionais...usando a inteligência para nos desenvolvermos enquanto espécie livre de todos os preconceitos que as normas e as religiões, ao longo de milénios, nos impuseram como sacras...
jrg
dedico-vos estas palavras que alinhei em jeito de poema:

estalam foguetes
gritos e vivas
apodrecem nas sarjetas
os restos de iguarias
escorrem regatos de champanhe
apertam-se os corpos
beijam-se as faces os lábios
aquecem promessas
rogam-se desejos de mudança
enfim os sorrisos
rasgam de esperança
os rostos sombrios
que vagueiam na noite à procura
dum tempo novo..
jrg

04/12/2015

AS LÁGRIMA E OS RISOS SARCÁSTICOS DOS VAMPIROS NÃO CALAM A ESPERANÇA DOS ESFORÇADOS POR JUSTIÇA!!! TAMBÉM AS AVES DE RAPINA ENCOLHERAM AS GARRAS!!! * ESTÁ UM DIA FRIO...PRIMAVERIL!

AS LÁGRIMA E OS RISOS SARCÁSTICOS DOS VAMPIROS
NÃO CALAM A ESPERANÇA DOS ESFORÇADOS POR JUSTIÇA!!!
TAMBÉM AS AVES DE RAPINA ENCOLHERAM AS GARRAS!!!
*

ESTÁ UM DIA FRIO...PRIMAVERIL!
*
há hoje no rio
uma doce calmaria
a maré vaza
deixa mais areia varrida p'lo frio
as aves cultivam harmonia
de quando em vez batem a asa
*
patos mergulhões
gaivotas pombos maçaricos
alvéolas e pardais
não trocam ouro nem milhões
são todos naturalmente ricos
sem fronteiras nem preconceitos infernais
*
não fora ser Outono
e seria talvez tempo de Primavera
aves doces destemidas
agora que venceram medo e sono
e que afastaram a quimera
das aves de rapina mais temidas
*
ao longe um vampiro
ainda ri e chora em desespero
outros rasgam a postura
antes cívica prepotente em bom retiro
grasnam ódio sem tempero
espumam impotência em raiva pura
*
há hoje no rio
uma doce e confiante calmaria
corre uma brisa d'esperança
as pessoas sorriem de novo luzem de brio
andam mulheres em nova correria
e em cada mãe renasce uma criança
jrg